[resenha] Fahrenheit 451 - Ray Bradbury

Título: Fahrenheit 451
Autor: Ray Bradbury
Editora: Biblioteca Azul
Páginas: 215
Skoob: Fahrenheit 451

"Todos devemos ser iguais. Nem todos nasceram livres e iguais , como diz a Constituição, mas todos se fizeram iguais. Cada homem é a imagem de seu semelhante e, com isso, todos ficam contentes, pois não há nenhuma montanha que os diminua, contra a qual se avaliar. Isso mesmo! Um livro é uma arma carregada na casa vizinha. Queime-o. Descarregue a arma."

Publicado em 1953, Fahrenheit 451 fala sobre um futuro sem livros. Exatamente, os livros são proibidos e o pensamento crítico não é incentivado, muito pelo contrário, as pessoas que questionam são tidas como estranhas e perigosas. Após as casas se tornarem a prova de incêndio, a profissão de bombeiro muda, ao invés de apagar incêndios, eles são chamados para queimar livros. (O número 451 é a temperatura, em graus Fahrenheit, da queima do papel, equivalente a 233 graus Celsius.)

Além de falar sobre o fato de livros serem ilegais, outro assunto que Bradbury trata é a alienação das pessoas pela mídia. No livro as pessoas são bombardeadas por "informações" o tempo todo seja através de televisões que tomam todas as paredes da sala ou pelos fones de ouvido. As pessoas não tem tempo de pensar, de se questionar ou de criticar. Elas só ouvem e "se divertem" com a programação.

"Ela não queria saber como uma coisa era feita, mas por quê. Isso pode ser embaraçoso."

O personagem principal é o bombeiro Guy Montag, que após uma noite de queima de livros acaba levando um pra casa e começa a se questionar sobre o motivo de serem tão perigosos.

Mais ou menos na metade do livro, eu comecei a achar que a história seria mal aproveitada. Eu não poderia estar mais enganada. Apesar de ser curtinho, Fahrenheit 451 traz reflexões maravilhosas não só sobre como seria um mundo sem livros, mas o motivo por ter chegado a isso. Pode parecer uma coisa óbvia do tipo "o governo não quer que os cidadãos pensem", mas é muito mais complexo e interessante que isso. Quando o livro foi chegando no final, mais uma vez eu imaginei que o desfecho iria deixar a desejar. Me enganei mais uma vez. O final do livro, assim como todo ele, é sensacional.

Pra mim Fahrenheit 451 é a prova de que um livro de 250 páginas as vezes pode conter muito mais emoção e reflexão do que outros com 1000 páginas.

"Não importa o que você faça, dizia ele, desde que você transforme alguma coisa, do jeito que era antes de você tocá-la, em algo que é como você depois que suas mãos passaram por ela. A diferença entre o homem que apenas apara gramados e um verdadeiro jardineiro está no toque."

Comentários

  1. Olá, Daniella.
    Não sei se foi o momento que não foi dos melhores, mas achei esse livro tão chato e só terminei porque sou daquelas que não consegue abandonar um livro. Porque achei muito chato.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil!
      Que pena que você não gostou. :/
      Mas é assim mesmo, cada um tem seu momento ou até o gosto diferente mesmo. rs
      Beijo

      Excluir
  2. ooooi
    tudo bem?
    Já tinha ouvido falar desta obra, mas nunca li. Parece ser interessante.
    Mesmo sendo um livro antigo se encaixa perfeitamente nos momentos atuais.
    Já adicionei na minha lista!

    PROMOÇÃO DOIS ANOS DO BLOG BIO-LIVROS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Sim, ele se encaixa cada vez mais. ^^
      Beijo

      Excluir
  3. Oi Dani! Eu tenho muita vontade de ler algo deste autor, sempre vejo comentários interessantes sobre suas obras. Quem sabe não começo por esse.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cida!
      Tomara que você goste, porque eu adorei.^^
      Beijo

      Excluir
  4. Olá, Dani.
    Não conhecia esse livro e nem o autor, mas fiquei bem curiosa. A premissa é interessante e sua resenha me deixou com vontade de ler. Vou adicionar na listinha!
    Gostei do blog, já tô seguindo!
    Beijos! :D
    Borboletas de Papel | Fanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Tomara que você goste também. ^^
      Beijo

      Excluir
  5. De cara já não tive muita curiosidade e vontade de ler, mas talvez porque não faça parte do meus gêneros preferidos. Mas quem sabe uma hora, né!

    www.leitorasvorazes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também demorei um pouquinho até criar coragem pra ler, mas valeu a pena. rs
      Beijo

      Excluir
  6. Oi Daanii!
    Não é de hojee que eu tô querendo este livro!
    Só ouço a galera falar muitoo bem dele!
    Eu acho tão legal a premissa deste livro, que envolve livros e o pergo do mesmo para o intelecto das pessoas .. parece ser sensacional!
    Bjos!
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Dani,
    Parece um clássico hein?
    Ainda não o li, mas a premissa é bem interessante.
    Não sei se leria facilmente, parece um pouco arrastado para mim, porém é algo que iria me fazer sair da zona de conforto.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale!
      Em alguns momentos ele é bem arrastado sim, mas eu acho que vale a pena. ^^
      Beijo

      Excluir
  8. Oii Dani, tudo bem?
    Eu sou louca para ler esse livro, mas ainda não consegui :(
    A premissa dele é muito legal e nos faz pensar sobre muitas coisas. Na realidade, hoje em dia mesmo, ainda que com tantos livros por aí, muitas pessoas vivam alienadas, sem pensar, apenas aceitando o que as grandes mídias oferecem :(
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gi!
      Realmente, esse livro traz uma reflexão muito legal sobre o poder das grandes mídias.
      Beijo

      Excluir

Postar um comentário