Capitulo 8




Mentiras...



Aquela voz... Era ele! Aquela rouquidão que o deixava sexy e ao mesmo tempo perigoso. Aquele timbre gutural. Era ele. E eu o ouvi claramente. Aquilo não era um sonho! Ele era real. Ele estava ali! Olhei para quarto na esperança de vê-lo. Mas permanecia sozinha.
–Não o vejo! Onde está?- perguntei. Novamente senti a Last Umbra pulsar em minha mão.
–Já lhe disse que apenas você poderá decidir quando me verá! Liberte-me minha Anne!
Meu coração estava acelerado. Belisquei meu braço para ter certeza de que estava acordada.
–Não sei como!- A espada pulsava como se ali residisse um coração. - Diga-me o que fazer?
Não pude ouvir sua resposta. Uma batida na porta me fez largar a espada.
–Anne? esta acordada?- Era Dylan.
–S-sim...- Olhei a mancha nos lençóis.- Só um minutinho!
Coloquei a espada de volta na bainha, forrei a cama com meus cobertores e fui abrir a porta.
–Diga?- falei fingindo voz de sono.
–Eu to sem sono e resolvi vir te incomodar, então ouvi vozes vindas do seu quarto. - Ele disse entrando e olhando o quarto como se procurasse algo ou alguém.
–Não tem ninguém aqui Dylan!

–Não?- Virou pra mim levantando a sobrancelha - E que merda é essa em seu pescoço então?
Puta que pariu! Esqueci disso! Anne sua tapada!!
–Oi?- Fiz-me de desentendida.
Ele puxou-me pelo braço e me pôs em frente ao espelho apontando para as marcas.
–Não tinha nada disso quando você foi dormir Anne! Não sou idiota!- Me olhava vitorioso pelo reflexo do espelho. - Você esta vendo alguém e nem se deu ao trabalho de me contar sua salva-vidas de aquário!
–Eu ia te contar!- menti descaradamente! - Mas dai veio toda essa confusão com Kathy... Não quis te distrair!
Ele sentou na cama. Oh lords! Na cama não!
–Seu quarto ta fedendo a sexo!- disse com cara de deboche me fazendo corar. - Não...- respirou fundo e me olhou de uma forma estranha - Você transou!- Agora sim eu estava completamente vermelha. - Ta explicada toda essa tempestade!- Ele tava gargalhando e segurando a barriga.
– Dylan!
–Desculpa- ele tentava parar de rir- Ufa! Então... Quem é ele? Quando vou conhecê-lo? - Disse me olhando com um brilho de ansiedade nos olhos.
Ah, como me dói mentir pra você Dylan.
–É complicado. - Comecei sentindo meu coração apertar e um nó se formar em minha garganta.- Nos conhecemos a pouco tempo e por ele ser mais velho que eu resolvemos manter esse relacionamento em segredo.
–Aaah. E qual o nome dele? - Nome? Santa merda enlatada! Pensa Anne! Pensa!
–khali!- Encurtei o nome dele para tentar diminuir o tamanho da mentira! - Khali Anosh!- Merda, me empolguei!
–Khali?- levantou uma sobrancelha - E isso lá é nome de Homem?
–Ele é estrangeiro, animal!-Boa!
–Saquei. - Ficou pensativo olhando em volta. - Há quanto tempo ta rolando isso? - respondeu apontando na direção da minha virilha.
–Não muito. - Corei.- Na verdade foi tudo meio louco Dylan. Nos conhecemos quando fui buscar o Sebby-chan na lojinha do Sr. Whats. Tomamos um café... Trocamos telefones e mensagem vai mensagem vem, ele veio me ver ontem... Acabamos por passar a noite juntos. - menti feio olhando pro lado.
–Pera... - levantou da cama passando a mão no cabelo. - Vocês se conheceram na sexta? É isso?
–Precisamente.
–Anne...- Falou baixinho quase sussurrando.- Você perdeu sua virgindade com um completo desconhecido?- Acenei positivamente- Diga que pelo menos você se protegeu?
–Sim! Claro que me protegi. - ops - Não sou assim tão burra!-Repita isso até você se convencer! - Eu disse que aconteceu..... Foi... Algo meio surreal entende?- Olha, isso ai é verdade.
– Entendo baixinha. Só que me preocupo.... - ele me abraçou. Ai Dylan, você não faz ideia do quanto me odeio agora!- Você entregou seu momento mais importante pra alguém que você pode nunca mais ver! Eu... Eu não quero ver você sofrendo.- Ele me apertava em seus braços.
– Isso pode soar estranho, mas tenho a impressão que não é esse o caso. - sussurrei contra seu peito, sabendo que era observada por grandes olhos vermelhos.
Ficamos uns minutos abraçados. Meu coração estava esmigalhado por ter que mentir pra ele. Nunca havia feito isso antes, e nunca mais quero fazer!
–Bom, vou voltar pra Kathy. - Me soltou, em sua face tinha um sorriso bobo estampado. - Prometa que vai me apresentar esse cara?
– Eu prometo. - Merda! - Boa noite Dylan.
Novamente estava sozinha em meu quarto. O dia havia amanhecido e eu estava completamente sem sono. Desci e preparei um café da manhã digno de Reis. Troquei minha roupa de cama. Vesti-me decentemente. E deixei um bilhetinho pro casal que deveria estar dormindo. " Bom dia pessoas, tive que sair. Fiquem a vontade. Volto assim que puder! Bjs Anne."
Sai de casa tendo como destino uma lojinha de antiguidades no centro da cidade. Se alguém poderia me ajudar a resolver essa confusão em que havia me metido... Esse alguém era aquele velho fofo! O ônibus chegou rápido, quinze minutos e estava na porta da loja. Uma placa improvisada dizia "FECHADO POR LUTO". Luto? Como assim cara? Entrei na loja vizinha.
–Bom dia.- Cumprimentei a atendente. Uma moça bonita relativamente jovem com roupas hippies.
–Olá, em que posso ajudar?- sorria gentil.
– Você saberia me dizer se está tudo bem com o Sr. Whats?- A moça trocou o sorriso por uma feição chorosa.
–Oh querida! Estamos todos abalados, ele faleceu sexta no final da tarde. - Disse com a mão no peito. - Disseram que ele enfartou. O filho mais novo dele vai assumir a loja. O enterro será hoje à tarde. - meu sangue parou de circular. - Você está bem moça? Está pálida.
–S-sim, eu só....- recuperei o ar que havia sumido de meus pulmões- Não esperava por isso. - Minha cabeça girava. estava perdida, ninguém mais poderia me ajudar a sair desse buraco que cavei pra mim mesma!

Comentários

  1. Eu estou adorando, o conto é muito intrigante cheio de mistérios estou super ansiosa por mais capítulos!!! Sui você está de parabéns você é ótima!!bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \o/ valew anjo!!!! continue acompanhando!!!^^

      Excluir
    2. Pode ter certeza !!! Estou gostando demais mesmo! ;)

      Excluir

Postar um comentário