Distopias

Depois de Steampunk e Literatura Gamer, que tal a gente falar um pouquinho sobre as [lindas] distopias?


Achei essa imagem no Papo de Homem e achei perfeita, inclusive o texto poderia ser só ela. rs
Distopia é uma antiutopia, ou seja, retrata uma sociedade contrária à utópica, que prevê um estado ideal onde os cidadãos vivem em plena concordância e felicidade. A literatura distópica traz alguns elementos que facilitam a identificação do gênero.

- Pós-apocalipse
- Governo Opressor
- Tecnologias cyber genéticas
- Exploração da estupidez coletiva
- Discurso pessimista
- Violência banalizada
- Não existe liberdade ou opção de escolha

Esses são só alguns exemplos de elementos distópicos, sendo que o livro não precisa ter todos eles para fazer parte do gênero. Eu tenho muitas paixões literárias distópicas, mas como não dá para citar todas, vou exemplificar o gênero com alguns dos livros que eu mais gosto. (apesar de ser um dos meus preferidos, não vou citar "correr ou morrer" porque resenhei ele aqui esses dias)

Admirável Mundo Novo - Aldous Huxley (1932)

Ano 634 d.F. (depois de Ford). O Estado científico totalitário zela por todos. Nascidos de proveta, os seres humanos (pré-condicionados) têm comportamentos (pré-estabelecidos) e ocupam lugares (pré-determinados) na sociedade: os alfa no topo da pirâmide, os ípsilons na base. A droga soma é universalmente distribuída em doses convenientes para os usuários. Família, monogamia, privacidade e pensamento criativo constituem crime. Os conceitos de "pai" e "mãe" são meramente históricos. Relacionamentos emocionais intensos ou prolongados são proibidos e considerados anormais. A promiscuidade é moralmente obrigatória e a higiene, um valor supremo. Não existe paixão nem religião. Mas Bernard Marx tem uma infelicidade doentia: acalentando um desejo não natural por solidão, não vendo mais graça nos prazeres infinitos da promiscuidade compulsória, Bernard quer se libertar. Uma visita a um dos poucos remanescentes da Reserva Selvagem, onde a vida antiga, imperfeita, subsiste, pode ser um caminho para curá-lo. Extraordinariamente profético, "Admirável mundo novo" é um dos livros mais influentes do século 20. 




1984 - George Orwell (1948)


Winston, herói de 1984, último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O'Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que "só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade: só o poder pelo poder, poder puro".






O Senhor das Moscas - William Golding (1954)

Um grupo trinta meninos é retirado de uma cidade atingida por um bombardeio atômico. Eles passam a viver numa ilha deserta do Pacífico e lá reconstituem os valores da sociedade em que viveram. Enquanto tratam de sobreviver nessas condições, não tardam a criar dois grupos com os respectivos líderes.
Ralph torna-se o cabeça dos que se dispõem a construir refúgios e dedicar-se à colheita, enquanto Jack se converte no chefe dos caçadores, animados por um espírito aventureiro. As tensões entre os bandos desembocam em enfrentamento.
O Senhor das Moscas aborda a contraposição entre civilização e barbárie, o valor da disciplina, entre outros temas. A obra tem partes mais leves e partes mais pesadas, aonde vemos os lados mais obscuros da humanidade, a sede pelo poder e o que somos capazes de fazer pela sobrevivência.




A Revolução dos Bichos - George Orwell (1945)

Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, "A Revolução dos Bichos" é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stálin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos - expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História - mimetizam os que estavam em curso na União Soviética. Com o acirramento da Guerra Fria, as mesmas razões que causaram constrangimento na época de sua publicação levaram A revolução dos bichos a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell, adepto do socialismo e inimigo de qualquer forma de manipulação política, sentiu-se incomodado com a utilização de sua fábula como panfleto. 

E só para vocês não me chamarem de velha... ^^

Jogos Vorazes - Suzanne Collins (2008)

Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?



O Teste - Joelle Charbonneau (acho que é 2014)


No dia de formatura de Malencia ‘Cia’ Vale e dos jovens da Colônia Cinco Lagos, tudo o que ela consegue imaginar – e esperar – é ser escolhida para O Teste, um programa elaborado pela Comunidade das Nações Unificadas, que seleciona os melhores e mais brilhantes recém-formados para que se tornem líderes na demorada reconstrução do mundo pós-guerra. Ela sabe que é um caminho árduo, mas existe pouca informação a respeito dessa seleção. Então, ela é finalmente escolhida e seu pai, que também havia participado da seleção, se mostra preocupado. Desconfiada de seu futuro, ela corajosamente segue para longe dos amigos e da família, talvez para sempre. O perigo e o terror a aguardam. Será que uma jovem é capaz de enfrentar um governo que a escolheu para se defender?

(esse eu ainda estou lendo, mas é legal. ^^)



Para quem gostou do tema, eu quero indicar dois textos legais que eu achei:

Gêneros Literários # 1 Distopia
Distopia: Características principais 

Comentários

  1. Achei muuuuuuuuito interessante.
    E pelo visto é um tema bastante complexo, não é?! kkk
    beijos
    http://cookierobsten.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! O Tema é bem complexo, por isso eu coloquei textos de apoio. rs
      Mas eu sou apaixonada por distopias. *-*
      Beijo

      Excluir
  2. Que fantástico!!!
    Achei a imagem muito top. Muitas interpretações!1
    Um tema que gosto muito por sinal! =D

    Anotando os livros aqui na minha listinha!

    Beijinhos Daniella!
    Pensamentos valem mais que ouro


    ResponderExcluir
  3. Sério, sou fascinado com as distopias, que geralmente são livros muito inteligentes. Destas que você citou eu já li Jogos Vorazes e A Revolução dos Bichos, dois livros que gostei e indico bastante.

    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Revolução dos Bichos é fantástico.
      Mas os outros também são incríveis. ^^
      Beijo

      Excluir
  4. Acho que não é muito o meu gosto, dos livros que vc falou só conhecia jogos vorazes e a revolução dos bichos haha
    http://a-ultimasereia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou apaixonada por distopias. *-*
      Mas é normal, cada um tem seu gosto. :D
      Beijo

      Excluir
  5. OI, Daniella!
    Ótimo post!
    Eu gosto de distopias. "Jogos Vorazes" eu não gostei. Na verdade, nenhum livro da distopia me convenceu.
    Adorei "Senhor das Moscas". É um livro incrível!
    Quero muito ler "1984" e "Admirável Mundo Novo". Parecem ser excelentes.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jogos Vorazes, apesar do último livro, eu gostei. Senhor das Moscas foi um dos melhores livros que eu já li, achei INCRÍVEL!
      Eu li Admirável Mundo Novo logo depois de 1984 e quase deu um nó na minha cabeça. kkkkkkk
      Tenho certeza que você vai adorar!^^
      Beijo

      Excluir
  6. Oi, Daniella!
    Daí já assisti jogos vorazes, porém não li o livro. Se o filme era perfeito, imagine o livro hein... me arrependi depois de não ter livro primeiramente o livro.

    comoassimanalice.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai parecer clichê, mas o livro é bem melhor. rs
      Beijo

      Excluir
  7. Eu adoro distopias. Mas infelizmente a maioria deles não explicam o como e o porque chegou aquela situação. Dos que você citou, só li Jogos Vorazes que amo.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria interessante se explicassem, mas eu acho que não é bem o objetivo das distopias. rs
      Beijo

      Excluir
  8. Eu amo distopias!
    São também muitas das minhas paixões literárias!!!
    Bjs, Lu - http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Distopia é um dos gêneros mais profundos e reflexivos da literatura! Livros como Admirável Mundo Novo e A Revolução dos Bichos marcaram para sempre a literatura e mexem, sim, com a nossa visão da vida.
    Sobre esse gênero, recomendo também um dos livros mais famosos e conhecidos, que ganhou um filme super cultuado do Stanley Kubrik: Laranja Mecânica. Aquilo ali é capaz de fazer você ver a sociedade de um modo completamente diferente e insano.

    Parabéns pelo post, ficou incrível!!

    Gostei muito de seu blog, estou seguindo! Quando puder dar uma visitinha lá no meu, ficarei muito feliz em te ter por lá!

    Abraços!!

    pecasdeoito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diêgo!
      Eu quase coloquei Laranja Mecânica no post, mas eu ainda não li. Está na minha lista há alguns anos, mas toda vez que eu começo, acontece alguma coisa que me faz parar de ler. Nem o filme eu consegui parar pra assistir e juro que não é falta de vontade. rs
      Que bom que você gostou do post, já estou indo no seu. ^^
      Beijo

      Excluir
  10. Aaaaamo distopias! Por que elas são tão perfeitas, né? ♥
    Já dei início a várias distopias e por enquanto, só finalizei Delírio e Jogos Vorazes mas estou prestes a chegar ao fim de Divergente. :D
    Quero muito ler O Teste também ;)

    Beijo
    Lu
    http://sem-spoiler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São perfeitas mesmo! *-*
      Logo vai ter resenha de "O Teste" aqui e sem spoilers. rs
      Beijo

      Excluir
  11. Comecei verdadeiramente ter contato com esse gênero recentemente. A Primeira Distopia que li de fato, foi Jogos Vorazes. Desde então tenho pesquisado mais e mais, e cheguei aos livros que você citou várias vezes, estou a procura deles.
    Porém, tenho um grande ressalva em relação a essa nova leva que tem saído depois do sucesso Jogo Vorazes, apesar de todos trazerem uma história diferente, com personagens, sempre me parece muito igual.
    Por exemplo, estou lendo "A Seleção", aquela ideia de trazer jovens para um palácio para serem escolhidas, um jovem forte que não está nem ai para um governo autoritário, ela é pobre e sabe disso... e tal, é bom de ler, mas, que poderia, em minha opinião, ser diferente, sem cair nesse ponto.
    Assim como "Divergente" que ainda não li, mas não me chama muito atenção. Acho, que você pode pegar uma influência de uma obra, mas inove de alguma forma, não mantenha o padrão, é como se você não tivesse nada de novo pra ler, diferente por exemplo de você pegar "1984", uma distopia extremamente diferente, ou "Laranja Mecânica" que fantástico, e mantém os mesmos traços que são característicos do gênero de Distopia. É um questionamento, uma opinião. Levantar questão. Acho legal.
    Gostei muito do seu post.
    Parabéns!

    Obrigado pela visita ao meu blog, espero você sempre por lá!

    Jônatas Amaral
    alma-critica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo com você. Apesar de gostar MUITO do gênero, eu tenho sentido isso também (aliás, com outros gêneros também), tem muita coisa repetida por aí (apesar de nem sempre ser tão ruim). No caso das distopias, eu gosto mais das antigas, mas também tem alguns muito bons e mais atuais. ^^
      Beijo

      Excluir
  12. Oiii!!! Adorei a sua explicação. Eu via td mundo falando Distopia, distopia e não sabia o q qria dizer. Agora entendi, ashuas. :)
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gih!
      Que bom que você gostou! *-*
      A ideia era essa mesmo. rs
      Beijo

      Excluir
  13. Oi Dani!
    Esse é um gênero que vem me conquistando aos poucos, mas acho que será para sempre, rsrs.
    Da sua lista só li "1984" e até acho que preciso ler de novo, para ver se enxergo o enredo sob outra ótica. Uma série distópica que me interessou bastante (pelo menos nos primeiros livros) foi "Feios", de Scott Westerfeld, não sei se vc conhece, mas vale a pena ;)
    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Joana!
      Eu comecei a ler "Feios", mas não me prendeu. Um dia eu tento de novo, mas por agora eu vou deixar um pouco na estante mesmo. rs
      É sempre bom reler livros como 1984 e leia os outros também, que eu tenho certeza que você vai gostar.^^
      Beijo

      Excluir
  14. Distopias são legais, principalmente por que mostram como as coisas podem fugir de controle, mesmo que não seja a intenção original, como é o caso de O Senhor das Moscas (não li mas já vi algumas análises sobre ele e tal)!
    Ótima seleção de livros!

    Beijos,
    Thiago - Blog GentleGeek

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thiago!
      Que bom que você gostou! :D
      Também gosto disso nas Distopias, principalmente daquelas histórias que é sobre um "mundo ideal", que na realidade não é tããão ideal assim. rs
      Beijo

      Excluir

Postar um comentário